Causas comuns de problemas de impotência e ereção

Situação de vida – Uma causa comum de impotência pode ser devido à situação de vida atual da pessoa afetada. Problemas de relacionamento, má sorte no amor ou incerteza em um novo relacionamento podem ser, por exemplo, causas subjacentes da impotência. Preocupações econômicas e luto combinadas com strass são outros fatores que também afetam a existência e a situação da vida.

Idade – A capacidade de uma pessoa de obter uma ereção pode ser afetada pelo envelhecimento, assim como outras funções do corpo. Drogas para outras doenças que vêm em idade avançada também podem afetar a capacidade de uma pessoa ter uma ereção.

Álcool e tabagismo – O consumo de álcool tem um efeito negativo comprovado na capacidade do homem de conseguir a ereção. No caso do abuso de álcool, o fígado também sofre danos que, a longo prazo, podem causar distúrbios hormonais que podem prejudicar ainda mais a disfunção erétil. Quando se trata de fumar, a capacidade de obter uma ereção torna-se muito pior, como conseqüência direta da nicotina contida nos cigarros, que puxam os vasos sanguíneos e impedem que a ereção ocorra.

Impotência – Tratamento

A droga mais comum com efeito potenciador vem na forma de um comprimido, mas injeções e pomadas também são comuns. Mas o tratamento da impotência pode ser feito de muitas maneiras diferentes, uma vez que a impotência não é apenas uma doença que tem a ver com o pênis, por exemplo, por meio de conversas e aconselhamento.

Impotência – Métodos alternativos de tratamento

Além dos métodos tradicionais de tratamento contra a impotência, também se encontram métodos alternativos de tratamento que muitos tiveram um efeito positivo na sua capacidade de ereção. Hipnoterapia é, por exemplo, um exemplo de um método alternativo de tratamento que muitas pessoas dizem que funciona.

Existem dois tipos de estudos RCT sobre o efeito da hipnose na função sexual. Ambos os estudos foram realizados em pacientes sem causa subjacente orgânica conhecida de impotência e hipnose foi encontrada para ser mais eficaz do que o placebo na forma de comprimidos. Esses dois estudos foram realizados pelo mesmo grupo de pesquisa e seria desejável mais estudos, de outros grupos de pesquisa, para confirmar os achados.